Os ideais e a Revolução



Os ideais e a Revolução
luzes
            A Revolução foi influenciada pelos ideais do movimento da idade moderna conhecido por Iluminismo, o lema “Liberdade, Igualdade, Fraternidade” foi adotado como marcha inicial da revolução. O movimento defendia o pensamento racional diante a visão teocêntrica que dominava a Europa. Para os filósofos, o pensamento era a única luz capaz de iluminar as trevas (período em que a sociedade se encontrava), daí o nome de Iluminismo.

            Para que o ser humano pudesse evoluir intelectualmente era necessário por a razão frente as crenças religiosas e o misticismo, as respostas para os questionamentos do homem que eram baseadas na fé, deveriam ser abandonadas e uma nova busca deveria ser realizada para que as novas respostas tivessem um embasamento lógico e real.

           Os filósofos acreditavam que o homem nascia bom, porém era corrompido pela sociedade que não tinha princípios, nem moral. Para eles se o homem fizesse parte de uma sociedade justa, onde pudesse desfrutar de direitos e liberdade iguais a todos, o bem estar geral e a felicidade poderiam ser tornar realidade. Devido a estes pensamentos, os iluministas eram contra o absolutismo, privilégio a poucos (como os concedidos a nobreza e ao clero), mercantilismo e a qualquer prática imposta obrigatoriamente. Acreditavam todos os cidadãos deveriam ter como direito igualdade jurídica e tributária.

            Para os burgueses esta filosofia lhe caia como uma luva, já que, mesmo sendo uma classe que detinha poder econômico, não podia atuar em campo político, tendo uma participação limitada. E outro ponto era que o fato do governo interferir na economia. Com o fim do Antigo Regime, a burguesia pode atuar livremente na área econômica e pode ver o clero e a nobreza perder todos o privilégios que tinham.

           Essa nova forma de pensar desencadeou processos vastos de produção de conhecimento. Na política novos ideais foram responsáveis pela criação de instituições que tinham como base o pensamento racional. Porém para que o movimento surtisse efeito, era necessário um acontecimento maior, que tivesse um impacto sobre toda a sociedade. Nesse mesmo período a França passava por uma crise, na qual o clero e a nobreza viviam as custas do resto da sociedade, que era a burguesia e os camponeses.

Num processo em que a maioria da população buscava forças para se virar contra a forma de governo, o Iluminismo veio como uma luz de fato a mente dos revolucionários. Os principais filósofos foram:

   - John Locke (1632-1704): para John o homem, com o passar do tempo, adquiria conhecimento por meio do empirismo.
    - Montesquieu (1689-1755): o poder deve ser divido em: Legislativo, Executivo e Judiciário.
    - Voltaire (1694-1778): acreditava na liberdade de pensamento e era bastante crítico quando se tratava de intolerância religiosa.
    -  Jean-Jacques Rousseau (1712-1778): o estado democrático deve garantir igualdade a todos.

Por o Iluminismo questionar e criticar o regime absolutista na qual a França vivia, foi usado como inspiração para lutar pelas novas formas de governo, economia e sociedade. A monarquia era tida como impedimento para o desenvolvimento do comércio e da burguesia. Eis que a revolução conseguiria  livrar a França de costumes antiquados e elevar a um novo conceito de respeito, costumes e tradições.